segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Costurando pra Fora

Olá Seus lindos!!!
Todos aqui no blog amam falar sobre moda, verdade?
E verdade também que ninguém aqui se autointitula "expert" em comentar sobre alta costura ou grandes marcas, não é mesmo?
O que fazemos aqui na realidade, é, do nosso jeitinho "caseiro", mostrar que admiramos o universo fashion, embora a grande maioria de nós (inclusive eu) talvez nunca possa ter uma peça das grandes maisons.



Por isso eu sei que esse blog é o sucesso que é, porque estamos aqui falando de igual pra igual e vocês se identificam conosco, neah?
Então, hoje eu vou falar sobre uma coisa que eu gosto muito de fazer: 
Encomendar roupas sob medida, ou seja, levar o tecidinho pra costureira fazer... isso mesmo. 
Roupa de costureira, eu adoro.

A beleza do que usamos está em traduzir o que somos e não em ostentar grandes grifes, quando muitas vezes não se tem grana nem para pagar uma pizza.

Assim, sempre que posso escolho calmamente os modelos, saio pra comprar tecidos e os levo para minha costureira, que diga-se de passagem, ela ARRASA.
É muito gostoso participar de todo o processo de produção da peça, escolher os aviamentos, fazer as provas, sugerir ajustes, e você ainda cria um vínculo muito gostoso com sua modista... faz confissões, chora o romance, leva bronca porque engordou... enfim, se sente feliz.



E eu sou amplamente a favor de SER FELIZ. 

Odeio campanhas de moda com modelos com aspecto de drogadas, detesto aquelas com cara e corpo de famintas. 


Acho horroroso editoriais com temas trash, bizarros, mortíferos ou sobrenaturais.



Tenho pena de pessoas que lidam com a moda sob uma verve blasé, com cara de arrogantes, antipáticos, sérios e infelizes... tadinhos... pensam que são grandes coisas.
Eu gosto mesmo é da cor do óbvio, do sapatinho combinando com o brinquinho e a bolsinha, bem brega mesmo. 
Amo vestidinhos floridos e lacinhos, talhados à mão, pregueadinhos.
Gosto do aviamento lá da Nice, do tecidinho do Floriano...
De toalhinhas de crochet na estante.
Gosto da pizza farta com os amigos, do filme com pipocas e bolo, dos kilinhos a mais com carinha de rechonchuda e muito feliz.

Amo a breguice alegre de mãe enfeitando a filhinha que nem bolo confeitado, dos babadinhos, sianinhas, gosto de estampas floridas na primavera, mesmo que sejam óbvias como dizia a Miranda.

Amo as fotos posadas, pose forçada, esperada, de bracinhos duros aguardando o flash piscar.



Gosto da modinha etiquetada de Goiânia, da bijuzinha da 25 de Março...
Porque amar e ser feliz é assim, é ser ridículo, é ser previsível... É acordar descabelado de manhã. É dormir com a camiseta da eleição passada o domingo todo. É o passeio com os primos no sítio da vovó.

Ser feliz é o presentinho barato da madrinha no aniversário, a cartinha amarrotada do filho em dia das mães de escola... é a primeira comunhão, é a foto do corte do bolo no casamento... a roupa decorada com papinha... tingida com xixi e vômito de bebê.
Enfim, ser feliz, é simples... eu curto mesmo é ser feliz, e você?

Beijos de Diva!!!!

3 comentários:

  1. Ser Feliz não tem preço!
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Ai amiga que lindo, me emocionei com o seu post sua Diva, te love :D

    ResponderExcluir
  3. Ameeeei o post!! Lindoo, tbm gosto muito de tudo isso. Afinal, ser feliz, é viver do jeito que se quer viver! Lindas palavras Hadyme,!

    ResponderExcluir