sábado, 17 de dezembro de 2011

Juventude Pós-Moderna por Francisco Panthio

Olá Meus queridos...
Neste sábado maravilhoso, vou compartilhar com vocês uma excelente reflexão feita por uma pessoa que eu considero muito, meu amigo pessoal e articulista político de juventude, Francisco Panthio, ex-presidente da UMES em Cruzeiro do Sul.
Leia com atenção e reflitam!!
Bom sábado à todos.


Somos milhões de faces que dão a cara jovem ao Brasil.

O jovem atual vem sofrendo, a cada ano, consideráveis transformações morais, físicas e psicológicas. Somos vistos pela sociedade como inconseqüentes, irresponsáveis; Tais acusações têm fundamento, visto que a própria juventude vem destruindo sua imagem dando início a uma degradação moral, talvez, irreversível.
 A idade considerada de juventude é caracterizada pela disponibilidade para os sonhos, as utopias, a rejeição do velho mundo, dos clichês, dos comportamentos vinculados à corrupção, da defesa mesquinha dos pequenos interesses privados. No Brasil tivemos a geração da resistência à ditadura e aquela da transição democrática, seguida pela que resistiu ao neoliberalismo dos anos 90 e que encontrou nos ideais do Fórum Social Mundial de construção do “outro mundo possível” seu espaço privilegiado.
Tais desmandos terão conseqüências futuras, para uns, pois outros já sofrem suas irresponsabilidades, devido à emancipação sexual juvenil incoerente, em que proliferam as doenças sexualmente transmissíveis e a gravidez precoce (não por falta de informação, tanto na mídia quanto nos lares).
Cogita-se, também, o uso de drogas, um dos fatores que mais comprometem essa geração inconseqüente que diz visar à liberdade.
O Jovem nascido e enraizado no Juruá e até mesmo no Acre, na grande maioria não sente vontade de lutar. Grande parte não acredita em transformações a partir da rebeldia ou irreverência, não sabendo os próprios; do poder de protagonizar as mudanças, tanto política, quanto culturalmente. 
E isso não é perfil de jovens quaisquer, falo de universitários e na grande parte dos estudantes do ensino médio, pessoas que poderiam cumprir um papel fundamental, nas discussões e temas mais abrangentes na região e no Brasil. 
Entretanto há uma minoria que se opõe a essas posições, lutando pelo que deseja, mostrando que possui garra e força de vontade. Estuda, previne-se consciente da importância do amor pela vida sem deixar de ser, porém jovem.

Francisco Panthio (Ex-Presidente da UMES- União Municipal dos Estudantes Secundaristas de Cruzeiro do Sul)


Nenhum comentário:

Postar um comentário