quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Você é uma pessoa resiliente?


Para a psicologia, resiliência é a capacidade de uma pessoa enfrentar situações adversas, dolorosas e retirar algo de positivo dessas experiências.
Em outras palavras, o resiliente é uma pessoa otimista. 
Mas o que é ser otimista?

Muitas pessoas têm uma visão, um entendimento equivocado do que é ser otimista; acham que otimista é aquela pessoa que sempre pensa positivamente, que espera resultados positivos em tudo o que faz. Na verdade, otimista é aquele que busca o ótimo em tudo, isto é, consegue aprender, extrair algo de positivo, uma lição com os seus erros, ou quando algo não dá certo.

O mesmo não ocorre com o pessimista, que faz o contrário... usualmente, consegue extrair algo de ruim mesmo nas experiências agradáveis e gratificantes da vida.
Ao abrir a janela do quarto num dia ensolarado, a esposa comenta com o marido: "Que dia maravilhoso, como está lindo o nosso jardim! Olhe aquela roseira, os botões estão todos abertos. Que pétalas lindas"!
"É, mas o jardim está cheio de ervas daninhas e, além do mais, não gosto de roseiras, elas têm muitos espinhos" - responde secamente o marido. 

Após uma forte colisão com o seu carro, o resiliente busca se certificar se sua família está bem. Vendo que ninguém se machucou, aliviado, comenta com a esposa: "Graças a Deus, todos estão bem"! No entanto, o pessimista, diante de um mesmo incidente, reage assim: "Droga, que azar, justamente agora que o seguro do carro está vencido! Era preferível que todos tivessem morrido"!

A psicóloga Terrie Moffitt, professora da Universidade Duke, EUA, um dos mais importantes centros de neurociências do mundo, divulgou um estudo baseado em 30 anos de pesquisa e observação. Ela acompanhou 1037 pessoas desde a primeira infância até os 32 anos de idade e chegou à seguinte conclusão: crianças que conseguem lidar melhor com a frustração e com o fracasso tendem na fase adulta a obter bons empregos, a ter sucesso em negócios, a economizar dinheiro, a cuidar da saúde e a ficar longe de vícios.
Ela concluiu, em seus estudos, que o bom desempenho acadêmico e profissional conseguidos por essas crianças na fase adulta estava menos ligado à inteligência e mais ao autocontrole, isto é, à habilidade de administrar seus impulsos e suas fraquezas.
Não foi por acaso que Sidarta Gautama, o Buda, dizia: "O Rei mais nobre de todos os reis é aquele que é capaz de se dominar".

Não podemos esquecer também que vivemos num planeta de provas e expiações, onde prevalecem as vibrações de dor, medo e ira. Por isso, é fundamental o trabalho interior de autoconhecimento para que possamos nos conscientizar e melhorar as inclinações, os traços de personalidade trazidos de outras encarnações, ou seja, as tendências negativas sobre como reagimos diante dos acontecimentos desagradáveis da vida.
Na verdade, reencarnamos para compreender e procurar melhorar o nosso modo inadequado de pensar, sentir e reagir. Por isso, ser resiliente diante da vida é a chave para evoluirmos como seres humanos e representa a verdadeira cura da alma humana.

OBS: Texto do Psiquiatra Osvaldo Shimoda, baseado em concepções espíritas Kardecistas.

Um comentário: